terça-feira, 28 de outubro de 2014

Simbolismo do número 15

imagem: A Bela Adormecida

O 15 é o número da Lua cheia, pois em um mês sinódico de 29 dias, no décimo quinto dia é Lua cheia.  Em culturas antigas e matriarcais, que concediam à Lua a maior honraria, o ápice de sua floração e  brilho era um bom motivo para se comemorar, talvez até um dia sagrado, e o 15, um número sagrado. Assim, ele era considerado na Suméria e na Babilônia o número da deusa do amor e rainha dos céus, Inanna (Ishtar). 
Na medida em que os valores solares emergentes suplantaram os lunares, antes sagrados, todos os atributos da noite foram taxados de nebulosos e nocivos, e o maior corpo celestial foi maldito.
Por isso, não nos surpreende encontrar no tarô o 15 como o número do Diabo. Ele também representa o número de desejos pecaminosos da carne que Paulo enumerou em sua carta aos gálatas (Gal.5:19-21).
Uma interpretação esclarecedora* vê na famosa Tabuada da Bruxa de Goethe (Fausto I, Cozinha da Bruxa) instruções para se formar um quadrado mágico com esse número 15 demoníaco na soma transversal.
Tabuada da Bruxa
Pelo fato de o 15 ser a soma dos cinco primeiros números ( 1+2+3+4+5 = 15), e ser assim um "grande cinco", não surpreende que ele assuma também a ambivalência do número 5.  Assim como a estrela de cinco pontas pode representar tanto algo bom quanto ruim, o 15 possui também um pólo claro e um escuro. O lado claro desse número simboliza que se alcançou o ponto máximo, que se escalou um pico. Assim, a 15ª  estação da Via Sacra é a ressurreição, para a qual não se precisa de nenhuma ilustração.
O caminho para o Templo de Jerusalém passava por quinze degraus.
Cada degrau correspondia a um dos quinze salmos dos degraus ou ascensão (salmos 120 a 134), que os devotos cantavam ao subir degrau por degrau em sua peregrinação para Jerusalém. Esse simbolismo torna-se mais evidente no caminho de Maria para o templo.

Apresentação da Virgem Maria no Templo (Cima da Conegliano)
Segundo o Evangelho apócrifo de Tiago, Maria foi levada ao templo por seus pais Joaquim e Ana quando tinha 3 anos, e lá permaneceu durante nove anos até o seu noivado com José. Nas pinturas sacras existem inúmeras ilustrações sobre esse tema, que mostram como a pequena Maria subiu os 15 degraus do templo para se dedicar à grande tarefa que tinha pela frente. Ao subir esses degraus ela se torna, de certa maneira, a Lua cheia, o símbolo da mulher e mãe totalmente desabrochada, pois, como Mãe de Deus, ela mesma passa a ser mais tarde um emblema do templo (Mãe da Igreja), que traz o Divino para o mundo. Por Maria reunir em si, sob diversos aspectos, o simbolismo lunar das grandes rainhas celestes dos templos antigos, não é de se estranhar que o número da Lua cheia esteja relacionado com essa consagração.
Como 3 x 5, o 15 também faz a ligação entre o 3 divino e o 5, o número dos homens. Essa ligação encontra-se nos quinze mistérios do rosário, que o fiel reza 10 vezes, e que o faz recordar os 150 salmos.
A maturidade que a Lua cheia atinge no 15º dia, assim como o fato de ela depois minguar e desaparecer, é evocada no conto de fadas "A Bela Adormecida", que no seu aniversário de 15 anos encontra a chave para a porta proibida. Contudo, passam-se 100 anos até que a Bela Adormecida seja beijada e acorde. A Lua, entretanto, surge novamente já no 17º dia depois da Lua cheia. Cheia.



*Museu de Fausto em Knittlingen.

Fonte: Simbolismo e significado dos números por Hajo Banzhaf

sábado, 25 de outubro de 2014

Santo dia, viva o macarrão!


Hoje, dia 25 é comemorado o dia mundial do macarrão; um dos meus pratos favoritos.
Conheça sua história e algumas curiosidades:


A história do macarrão se confunde com a evolução da humanidade. Há mais de 6 mil anos, o homem descobriu que podia moer alguns cereais e misturar com água e desde então as massas alimentícias tiveram ampla aceitação e a demanda só cresceu. Do antigo Egito às travessias árabes, das viagens de Marco Polo às tradições italianas, esses alimentos sempre atenderam às necessidades de abastecimento da população, de nutrição e versatilidade.

No Brasil, com a forte imigração italiana no começo do século XX o alimento foi difundido e atualmente está entre os preferidos dos brasileiros

* A palavra lasanha vem do grego lasanon, termo usado para designar tiras de massas cozidas ou fritas em pedras quentes.

* A massa, considerada o avô do espaguete apareceu pela primeira vez na Itália, no século XIII, trazida pelos árabes. Eram compridos tubos ocos de massa leve, que secavam enrolados em fios de palha.

* No século XVIII o espaguete já era tão popular em toda a Europa que os aristocratas ingleses eram capazes de viajar até Nápoles só para se refestelar com a massa, servida em populares barracas no meio da rua.
Se quiser saber mais clique aqui.


Para comemorar esta data o Programa Sem Censura entrevistou a empresária Ana Venturim, criadora de algumas massas tão saborosas e belas com a da imagem acima.
Confira a entrevista aqui.
Visite o site Restaurante Venturim.



Link do vídeo:

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Dia dos Devas, Silfos e Arcanjo Uriel

Lord Brahma and Adhiti - 19th Century Illustration

Celebração dos espíritos do ar, os Devas e das deusas ligadas ao elemento ar como Aditi, Arianrhod, Maat, Minerva, “A Mulher que Muda” (Etsanatlehi), Nuit, Sarasvati e Sophia.
Na Mesopotâmia, antiga celebração da deusa Ninlil, a senhora dos ventos, guardiã da Terra, do céu, do ar e do mundo subterrâneo. Seus emblemas eram a montanha celeste, as estrelas, a árvore de galhos entrelaçados e a serpente. Padroeira da cidade de Nippur, ela foi aos poucos assimilada no culto das deusas Ishtar e Belit.

Dia dedicado a Uriel, o anjo da justiça.
Aproveite este dia e faça uma boa purificação na sua casa. Queime em cada cômodo, incenso de olíbano ou mirra, em movimentos circulares no sentido anti-horário, tocando um sino ou chocalho. Coloque depois pout-pourris em todos os quartos, enquanto ouve uma música suave para reverenciar os espíritos do ar. Ore para as deusas da sabedoria, pedindo equilíbrio mental e discernimento em suas decisões e o bom uso de suas habilidades e poderes mentais.

Oração para Uriel

Anjo da justiça Divina, dê-me inspirações para transmitir aos meus irmãos, através das palavras escritas ou faladas, todo o ensinamento que recebestes dos seres celestiais. Que todo o conhecimento que eu adquirir por sua influência, me faça crescer dia após dia. Que minha sabedoria seja eterna e eu a aproveite infinitamente a favor de meus semelhantes.(**)


Silfos - Elemento Ar

Invocar se possível logo pela manhã, de preferência caminhando.
Esta invocação atua na condução de pensamentos para resoluções de negócios ou situações preocupantes.
Invocação aos Silfos
Eu vos saúdo, Silfos, 
Que constituís a representação do ar e dos ventos, 
Portadores das mensagens para toda a terra, 
Eu deposito em vós
A minha imensa confiança,
Pois meus pensamentos são sempre positivos,
Voltados para o amor de todas as coisas existentes.
Fazei de mim a imagem do esplendor da luz. 
Fazei deste pensamento meu milagre!
Mestres do ar, eu vos saúdo, fraternalmente.
Amém!


(*) Teia de Thea
(**)http://seresdeluz.wordpress.com/anjos/arcanjo-(***)http://setasparaoinfinito.blogspot.com/2012/05/invocacoes-aos-elementais-da-natureza.html#ixzz3H4EzCWtm

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Arte Portas Abertas: cor e criatividade pelas ruas de Portugal



O belo e a arte podem estar nos lugares mais simples e cotidianos das nossas vidas, inclusive nas portas. O projeto Arte Portas Abertas, coordenado pela artista plástica Taciana Gouveia, é um conjunto de intervenções artísticas que acredita na concepção de uma pintura mural coletiva, espontânea e experimental, para exprimir a efervescência cultural da zona baixa da cidade do Funchal, em Portugal.




De acordo com os organizadores do projeto, as portas são de lojas abandonadas ou espaços em ruínas que assumiram uma nova vida, e a iniciativa tem o objetivo de sensibilizar a população, enchendo as vias de eventos culturais e artísticos. Os trabalhos não têm data para terminar, uma vez que o Arte Portas Abertas continua disposto a receber a participação de novos artistas que queiram pintar outras portas da cidade.


Visite

Fonte:
http://estadodeminas.lugarcerto.com.br/app/galeria-de-fotos/2014/10/17/interna_galeriadefotos,884/arte-portas-abertas.shtml

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Flores que fazem bem

Flores são utilizadas na alimentação e em chás para desintoxicar o organismo e prevenir doenças
As essências florais também trabalham emoções e ajudam a restaurar o equilíbrio

por Carolina Cotta


As flores podem trazer mais do que beleza e aconchego. Algumas têm propriedades capazes de promover o bem-estar e até mesmo auxiliar na cura de algumas doenças. A ayurveda, por exemplo, busca o equilíbrio entre corpo, mente e espírito por meio de meditação, ioga, alimentação saudável, massagens e uso de óleos e plantas medicinais. Para a milenar medicina indiana, tudo o que aproxima o homem da natureza traz equilíbrio e saúde. Por isso, considera as plantas e alimentos como remédios essenciais para prevenir e buscar a saúde. Segundo a terapeuta ayurvédica e especialista em terapia floral Patrícia Lopes, as essências florais trabalham emoções e ajudam a restaurar o equilíbrio, já que, por meio delas, é possível tratar doenças psicológicas e espirituais.

“Cada planta tem uma ‘assinatura’ que identifica o seu uso medicinal”, afirma a especialista, segundo a qual a maioria das flores têm óleo essencial, além de existir espécies que podem também ser ingeridas. “Tudo que nos afasta da nossa natureza causa desequilíbrio. Quando utilizamos o remédio ou o alimento vindo diretamente dela, o nosso corpo fica mais feliz e funciona melhor. As flores e plantas auxiliam o corpo a se desintoxicar e gerar mais saúde, sem agredir o nosso organismo com componentes estranhos e prejudiciais ao nosso metabolismo”, ressalta. Na massagem ayurvédica a pele é untada com um óleo medicado para tratar o desequilíbrio ou doença de cada pessoa em particular. Esses podem ser de ervas e flores

Algumas das opções são os óleos essenciais das flores de lavanda, camomila e rosas. O engenheiro Paulo Marques, de 27 anos, conheceu o poder curativo das flores há alguns anos, por meio de alguns terapeutas amigos de família. Para ele, os florais foram capazes de harmonizar o corpo, trazendo bem-estar e, muitas vezes, a cura de determinados padrões de comportamento. Também chás e homeopáticos são priorizados por ele. “O tratamento com flores potencializa a cura no indivíduo em diversos níveis. São remédios naturais que tratam de diversos males sem os efeitos colaterais dos remédios tradicionais. Não somente flores, mas também ervas medicinais”, acredita.

Paulo já usou óleos essenciais e é adepto da acupuntura para tratar de dores de garganta, enxaquecas, entre outros incômodos, tendo também experimentado o reiki. Todos os ajudaram, de alguma forma, a enfrentar alguns problemas, embora ele não descarte os medicamentos tradicionais por acreditar que algumas doenças precisam de atenção especial. Os óleos essenciais, por exemplo, ajudam a melhorar quadros de sinusite frequente. “Atuam como anti-inflamatórios naturais e mitigam os sintomas que muitas vezes são bem desagradáveis”, conta. Ele observa que os fitoterápicos têm um efeito mais rápido e positivo para o organismo.

COMO USAR 
As flores funcionam como remédios naturais. Segundo Patrícia, muitas pesquisas já comprovaram suas funções terapêuticas pelo fato de agir em nosso organismo, assim como os remédios alopáticos, no mental e no físico, de acordo com cada doença ou desequilíbrio. Elas podem ser usadas de várias formas, como óleos na aromaterapia (cheiro), aromatologia (ingestão) e aplicação na pele. Também como chás, florais, tinturas e escalda-pés. O óleo essencial, entretanto, é o extrato mais forte da flor. Uma xícara de chá de camomila equivale a uma gota do óleo essencial puro, que pode ser ingerido em uma colher de mel ou de óleo vegetal carreador, o que torna o efeito mais rápido.

Mas a especialista alerta para alguns cuidados. Acha interessante que as pessoas pesquisem mais sobre o uso de remédios naturais, tomem mais chás e busquem óleos essenciais e florais, sempre com muito cuidado com as contraindicações de cada um, principalmente as grávidas ou pessoas com doenças graves. “Muito cuidado com o uso de plantas colhidas no mato por conta própria, porque é possível se confundir e consumir algo tóxico. Se não se tem certeza de que planta é, sugiro comprar em lojas especializadas em ervas ou farmácias naturais. Os florais hoje são encontrados com fórmulas prontas na maioria das farmácias naturais. Isso é bacana para problemas simples, pois as pessoas podem se automedicar sem riscos”, defende.


FLORES QUE FAZEM BEM

Camomila
» Conhecida pelo seu forte poder calmante mental e corporal. Excelente para dores de cabeça, insônia, ansiedade, depressão, histeria, desordens menstruais, cólicas, problemas de pele, cefaleia. Pode ser consumida em forma de chá ou óleo essencial.
Lavanda
» É excelente para tensão, cansaço ou depressão, problemas de pele e odores. Por ser tão suave, o óleo pode ser aplicado sem diluir em queimaduras, para diminuir cicatrizes e picadas de insetos. Abaixa a pressão arterial, problemas menstruais, alivia náuseas, cólicas e vômitos. Pode ser consumida em forma de chá ou óleo essencial.
Rosas
» Usadas para tensão, depressão, dor de cabeça e insônia, sendo também excelentes para a pele, em especial aquelas com rugas, rachadas, ressecadas e maduras. Estimulante circulatório, são ótimas opções para resfriados, infertilidade, perda dos cabelos, menopausa, distrofia muscular, sinusite, esterilidade, problemas de reprodução femininos, ansiedade e crise emocional. Podem ser consumidas em forma de chá ou óleo essencial.
Floral de rosa (Rosa grandiflora)
» Essência floral trabalha a fotofobia (pessoas que não suportam a presença da luz). Essa roseira também pode ajudar nas inflamações dos olhos, boca e garganta. Combate a tuberculose e diarreias. Pode ser consumida como chá.
Floral de Melissa
» Utilizado como calmante relaxante, excelente nos distúrbios de origem nervosa, histerismo, hipocondria, nas afecções do sistema digestório, debilidade geral, dispepsia, desmaios, vertigens, epilepsia, flatulência e palpitação do coração. Também pode ser consumida como chá.


3 perguntas para...
Maria das Graças Lins Brandão - doutora em ciências, professora da faculdade de farmácia da Universidade Federal de Minas Gerais e coordenadora do centro especializado em plantas aromáticas, medicinais e tóxicas (Ceplamt-UFMG)

Algumas pessoas ainda veem o tratamento com fitoterápicos como “alternativo”. Que evidências científicas comprovam a efetividade de tratamentos baseados em flores?
O tratamento com fitoterápicos não é considerado “alternativo”, e sim complementar. Isso ocorre porque os fitoterápicos são aqueles produtos feitos com plantas que têm evidência científica, atestadas em ensaios farmacológicos conduzidos em laboratório, como qualquer produto sintético ou “de farmácia”. Já os florais, por exemplo, são tratamentos alternativos, pois não contam com tais evidências.

Quais são as principais flores medicinais e para que são indicadas?
Algumas flores são consideradas fitoterápicos porque já foram estudadas, como a camomila, que tem substâncias químicas eficazes como calmante (flavonoides) e anti-inflamatório tópico (azuleno). Outra é a calêndula, com substâncias envolvidas na cicatrização (terpenos). Outras flores testadas e ativas são a arnica, que tem substâncias que atuam como anti-inflamatório tópico, e a macela-do-campo, que tem flavonoides anti-inflamatórios.

Em que formato devem ser empregadas? Algum meio é mais efetivo que outro? Por quê?
O importante é fazer uma extração eficaz dos componentes ativos de cada planta. Para a camomila, calêndula e marcela, o chá feito por decocção (cozinhar a planta) extrai os flavonoides. Mas se o objetivo é o efeito anti-inflamatório da camomila, deve-se fazer a infusão, pois as substâncias ativas se perdem com o calor. Já a arnica verdadeira não é encontrada no Brasil e é necessário adquirir os produtos nas farmácias.

domingo, 12 de outubro de 2014

Tarô: encanto e magia pelos caminhos de Sainte-Suzanne

Vi a imagem abaixo dia desses no Facebook e achei um luxo. 
Olha só que charme este Arcano IX O Eremita!
Procurei feito louca pela internet para saber se havia mais algum arcano e... 

não é que encontrei!





Estas verdadeiras obras de arte e de originalidade foram criadas pelo artesão, ceramista e decorador francês Jean-Claude Flornoy (foto abaixo). 
Flornoy, nasceu em Paris em 1950 e faleceu em 2011, saiba mais sobre o artesão (em português) em:http://tarot-historico.com.br/?page_id=10



Como se fossem sinais, os arcanos do tarô foram espalhados pelas ruas da bela Sainte- Suzanne.


Vale conferir:



Fonte das imagens
http://www.pinterest.com/monica68marazzi/signs-insegne/
e links acima.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Outros olhares