sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Simbologia do número 8

 O número do equilíbrio, da justiça e da renovação

imagem: A roda da fortuna com 8 raios - Mosaico Catedral de Siena

Assim como o 8º dia da semana inicia a nova semana, a escala musical retorna ao início com a oitava, o oitavo som, da mesma maneira o 8 simboliza um novo começo num plano mais elevado. Ele é a fronteira, o elo, o intermediário para uma esfera ou um mundo melhor, maior, ou mais elevado. Esse simbolismo apresenta-se também na estrela de oito pontas e no octógono. Em analogia ao 4, o quadrado representa tudo o que é terreno; o círculo representa a esfera celeste e, por sua vez, o octógono representa, de uma maneira evidente,  linha intermediária entre esses dois mundos.
imagem:Teto da Catedral Ely  - Inglaterra
Essa transição do quadrado terreno para o círculo divino é vista em muitas igrejas, onde, por cima do cruzeiro, ergue-se um octógono sobre o qual encontra-se a abóbada celeste. Como intermediário entre o quadrado e o círculo, o octógono simboliza o limiar até o qual, nós, na Terra, podemos nos aproximar do divino, do eterno e do ideal, e também o quanto os Céus são benevolentes conosco.
Por isso, o 8 tornou-se tão importante no Cristianismo. Ele simboliza o próprio Cristo, cujo nome, em grego, tem o valor numérico 888 (*), sobretudo por ele ser o intermediário entre Deus e os homens, e a sua ressurreição ser celebrada como o oitavo dia da criação, com o qual um novo tempo, uma nova aliança (Novo Testamento) se inicia.
A estrela de Natal que anuncia o nascimento de Cristo também lembra esse simbolismo, e tem tradicionalmente oito pontas. Também as oito pessoas que sobreviveram ao dilúvio na Arca de Noé, segundo o relato bíblico, expressam a ideia de um recomeço. Será essa a razão de o número 8 ser considerado um número de sorte e a roda de oito raios ser a roda da fortuna?
imagem por: Nicole d'Oresme (c. 1323-1372) -
Le livre du Ciel et du Monde, Paris, BnF, Manuscrits, Fr. 565, f. 69, (1377)

O oito era considerado, já na Antiguidade, uma meta merecedora de esforços para ser alcançada. No caminho para a salvação a alma tem de passar pelos 7 céus dos 7 planetas, até chegar à oitava esfera, o firmamento, onde habitam os deuses. Esse simbolismo é encontrado, entre outros, no panteão romano, uma construção circular, na qual o octógono é marcado por nichos distribuídos nos outo ângulos.

O octogonal Castel Del Monte cercado por 8 torres
A ligação estável entre dois mundos, como o Céu e a Terra, este mundo e o além, o tempo e a eternidade, é representada visualmente pelo 8 deitado, a Lemniscata ().
Este símbolo da eternidade também ilustra o princípio hermético " o que está em cima é como o que está embaixo", que corresponde no Cristianismo ao "assim na terra como no céu". Por outro lado, diz-se também que o oitavo dia não tem fim, pois Cristo ressuscitou no oitavo dia da semana, e com isso abriu a porta da eternidade para a humanidade.
O simbolismo do oito como transição também é conhecido em outras culturas como um novo começo num nível mais elevado, e como libertação ou ascensão. 

imagem: Ogdóade
No mito egípcio da criação de Hermópolis, quatro casais de deuses, a Ogdóade (agrupamento de 8 divindades), personificam as forças primordiais que formam o princípio de tudo. No Judaísmo, a circuncisão é feita
no oitavo dia após o nascimento, e simboliza, assim como no bastimo no Cristianismo, a aliança com Deus.
No Budismo, existem quatro nobre verdades, com as quais os sofrimentos do mundo são descritos, e os oito caminhos, que libertam o homem dessas dores.


Odin montado em Sleipnir

Na mitologia nódica, Odin, o pai dos céus, é levado por Sleipnir, seu cavalo de oito patas, em sua viagem entre o Céu e a Terra. 
Desde o tempo de Pitágoras, o 8 é considerado o número da justiça, por se deixar dividir sempre em partes  iguais. 


imagens: Marseilles Fournier Tarot Decks  e   Raider-Waite Tarot

Por essa razão, a justiça sempre ocupou tradicionalmente o 8º lugar nos Arcanos Maiores do Tarô, como no de Marselha, até que, com o lançamento do Tarô de Rider-Waite em 1909, houve uma mudança na numeração e a justiça foi empurrada para o 11º lugar.
O oito também é conhecido como um símbolo de justiça entre os povos germânicos. Consta que a sua "Femergericht", a Liga da Corte Sagrada, era formada por oito (acht em alemão) juízes, os ächten ou echten a quem se devia respeito. Eles tinham o direito de sentenciar o acusado e declará-lo fora da lei e sem direitos. Essa sentença era conhecida como "marcar com o oito". Desse costume surgiu uma sentença que o Império Alemão pode promulgar até 1806.
A associação de justiça com o lado direito não é comum apenas na língua alemã. A palavra francesa droit e a inglesa right também significam direito e direita. Com isso, essas e outras línguas nos lembram que a jurisdição é uma expressão do lado direito e consciente, cuja tarefa consiste e, fazer um julgamento consciente, bem pensado, justo e fundamentado.
Mais interessante ainda é o fato de o despertar da consciência também ser expressado por meio do oito. Em várias línguas européias, a diferença entre a palavra "noite" - um símbolo do inconsciente - e a palavra "oito", consiste apenas ma perda do "n" no início da palavra, com o qual, nessas línguas começa a palavra "não", que por sua vez, faz parte do âmbito simbólico do inconsciente:

Alemão e Holandês = nacht  e acht
Inglês = night e eight
Francês = nuit e huit
Italiano = notte e otto
Espanhol = noche e ocho
Português = noite e oito
Latim = nox e octus
Sueco/Norueguês = natt e atta

Dessa maneira todas essas línguas "lembram" que o oito é a expressão da noite libertada no "n negativo", e com isso ele personifica o novo dia e o despertar da consciência.

(*)Número 888 - Valor numérico da palavra grega para Jesus (ΙΗΣΟΥΣ):
Ι (Iota) = 10, Η (Eta) = 8, Σ (Sigma) = 200, Ο (Ômikron) = 70, Υ (Ípsilon) = 400 Σ (Sigma) = 200. Já que o 8 é, notoriamente, um numero de Cristo, o 8 triplo é considerado também, um simbolo seu.



Vale conferir:

Fonte: Trechos do livro Simbolismo e o significado dos números por Hajo Banzhaf - Ed. Pensamento

4 comentários:

  1. Gostei muito de ler este artigo, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Mónica.
      Os livros de Hajo Banzhaf são ótimos e este sobre os números é um deles.

      Abraços.

      Excluir
  2. Caramba que delicia de texto.
    GRATIDÃO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada.
      Os textos de Hajo Banzhaf são ótimos.

      Excluir

Bem vindo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Outros olhares