terça-feira, 20 de maio de 2014

Biografia humana - os nove setênios

imagem: O ritmo dinâmico entre setênios e nonênios



A Biografia Humana
Texto extraído do livro CONHECER-SE - O Despertar da Consciência Energética.
Autora: Elsbeth Willecke

Assim como outros aspectos da vida aqui na terra, também a nossa biografia é regida por leis específicas. Na Grécia antiga estas leis já eram conhecidas, quando o homem observava muito a natureza, a mudança das estações, etc. Mais recentemente, este estudo foi resgatado e organizado por Rudolf Steiner fundador da Antroposofia, no estudo da Biografia Humana.

Enquanto humanos somos de natureza quádrupla, compostos de corpo físico, corpo emocional, corpo mental, e corpo espiritual.

No processo de INDIVIDUAÇÃO, assim chamado por Carl Gustav Jung, vamos gradativamente integrando todos estes aspectos. Este movimento de acordo com a identidade em questão, também tem o seu próprio ritmo. Dentro deste processo de crescimento e desenvolvimento vamos juntando, tecendo, trazendo consciência para os quatro corpos e assim nos tornando seres mais completos, mais realizados. Esta é a nossa TAREFA DE VIDA.

Podemos observar que esta é uma tarefa complexa, que dura uma vida inteira. Então no processo da INDIVIDUAÇÃO passamos por diversas fases sujeitas a diferentes leis. O conhecimento destas leis nos ajuda a passar pela vida aproveitando mais o nosso potencial, lidando melhor com os nossos desafios, transformando nosso Karma em Dharma.

Nossa caminhada pela vida, ou processo de INDIVIDUAÇÃO organiza-se em três grandes fases:

A primeira grande fase vai 0-21 anos é a fase do amadurecimento físico e fisiológico. Nosso SER está empenhado na formação e no desenvolvimento do nosso corpo físico e do funcionamento de seu conjunto de órgãos. É um tempo que começa com a concepção e se estende até os vinte e um anos. É uma fase que se caracteriza pelo “receber” e que podemos chamar de “fase de preparação para a vida”. Também é uma fase onde se manifesta muito do nosso passado, daquilo que trouxemos na nossa bagagem cármica, também chamado de mochila cármica.

Segue agora a fase intermediária que se estende dos 21aos 42 anos. Esta é a fase onde se dá nosso desenvolvimento psíquico, o desenvolvimento da nossa personalidade. Aqui nossa tarefa é a de se auto-educar e de se auto transformar. Nossa individualidade ganha asas; já não está comprometida corporalmente. Agora ela é responsável e responde por si a partir dos vinte e um anos, quando nos emancipamos dos nossos pais. É a fase da “expansão”, onde constituímos família, desenvolvemo-nos profissionalmente, materializamos os nossos projetos. É uma fase voltada para o social, para a interação com os outros. O EU aprende a administrar seus sentimentos, aprende a amar, a se comprometer e a contestar e impor o seu ponto de vista. Através de todos estes encontros e desafios a nossa alma vai se aperfeiçoando e alcançando sua maturidade psíquica. Nós nos projetamos no mundo através da nossa personalidade e é somente depois desta fase que estamos realmente “crescidos”. Os processos do corpo estão em equilíbrio, o que nos dá muita energia e nos permite sermos produtivos no mundo externo. É o nosso período produtivo.

A terceira grande fase começa a partir dos 42 anos, é a fase do desenvolvimento espiritual. Nesta fase aparece aquilo que plantamos na fase anterior, onde podemos reconhecer nossos frutos. Estes precisam amadurecer completamente. Nesta época, entramos em declínio fisicamente e percebemos mudanças sutis em nosso corpo. Mas agora uma nova força começa a se manifestar a partir do nosso interior: é o nosso Ser Espiritual que começa a se manifestar de dentro para fora. Na fase do nosso desenvolvimento espiritual já não nos preocupamos tanto com nossos projetos pessoais e sim, ficamos mais ligados com questões humanitárias, ecológicas e nos problemas do mundo. Agora tudo nos exige mais esforço, porque as forças físicas estão menos ativas. Mas ao mesmo tempo, isto nos possibilita uma maior manifestação das coisas do espírito. É como se o corpo estivesse dando passagem para que o espírito possa se manifestar com mais força. Somos agora mais conscientes. Esta é a fase onde a nossa escolha de seguir adiante tem três alternativas:
1- Se não nos desenvolvermos com consciência, ignorando os processos naturais de desgaste do corpo, e continuarmos no mesmo ritmo da fase anterior, o resultado poderá ser desastroso; podemos manifestar alguma doença grave. Esta pode ter a função de darmos uma parada, para fazermos uma reavaliação da vida, assim nos obrigando a repensar a forma de como levamos a vida até aqui.

2- Se, ao contrário, desenvolvermos o pensamento de que “agora já tenho 40, não dá para começar mais nada”, estaremos interrompendo o ciclo de desenvolvimento espiritual e poderemos entrar em depressão.

3- Assim como não somos somente corpo mas também espírito, é justamente nesta fase que nos encontramos em frente a novas possibilidades que fazem jus à frase”a vida começa aos 40”. É a partir daqui que temos a oportunidade de podermos trazer para o mundo a manifestação da nossa essência, assumindo assim nossa tarefa planetária e desta forma cumprindo nosso destino. 

Leia também:


Fontes:


Visite:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem vindo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Outros olhares