domingo, 19 de agosto de 2012

Azoth - Alfa e Ômega

Asrgravis
O princípio criador na Natureza, cuja parte mais densa encontra-se depositada na Luz Astral. É simbolizado pela figura de uma cruz e cada um de seus 4 braços possui uma letra da palavra Taro, que também pode ser lida como Rota, Ator e muitas outras combinações, cada uma das quais com um significado oculto. 


[É o princípio criador da Natureza; a panacéia universal ou ar espiritual que dá vida. Representa a Luz Astral em seu aspecto como veículo da essência universal da vida. Em seu aspecto inferior, é o poder eletrizante da atmosfera: ozone, oxigênio etc. (F. Hartmann).
Não se deve confundir o Azoth como o azoto da química. O Azoth dos alquimistas é o princípio anímico ou vital, ao qual o oxigênio deve seu poder vivificante. O oxigênio do ar é seu veículo. O Azoth é aquele tipo de Luz Astral que está em correlação imediata com a vitalidade orgânica. Parece muito com as ondulações do "Oceano de Jîva", conhecidas pelos Inciados da Índia. Esta Essência Vital absorvida do Azoth do Éter-ambiente circula com o sangue por todo o nosso organismo. (Jyotis Prâcham, o Mistério da Vida)].




Alfa e Ômega. O primeiro e o último, o princípio e o fim  de toda existência ativa; o Logos e, daí (entre os cristãos), Cristo. Ver Apocalipse ,XXI-6, onde São João adota "Alfa e Ômega" como símbolo do Consolador Divino, que "ao sedento dará de beber do balde da fonte da água da vida". A palavra Azot ou Azoth ´um hieróglifo medieval desta ideia, pois esta palavra é composta da primeira e da última letras do alfabeto grego, , do alfabeto latino A e Z e do alfabeto hebraico A e T, Aleph e Tau.

Jîva (Jiva) - Sânscrito: Vida, no sentido do Absoluto; significa também a Mônada ou Âtmâ-Buddhi. [Jîva apresenta também os seguintes significados: princípio vital, alma ou espírito vivente; ser, alma ou espírito individual; eu humano; criatura ou ser vivente, existência. No fim de uma palavra composta, significa: vivo, vivente, vivificador].


ilustrado por Pamela Smith
Nesta carta encontramos uma síntese de todo o Taro ou Rota. A figura central deve ser tomada como Hathor, Athor, ou Ator, em vez de Ísis, indicando assim o anagrama oculto, que pode talvez ser traduzido assim: 
OART - O homem reza
ATOR - para a Grande Mãe
TARO - que gira
ROTA - a roda da vida e da morte.


Fonte do texto: Glossário Teosófico - Helena P. Blavastky - 5ª edição - Ed. Ground

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem vindo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Outros olhares